sexta-feira, 18 de agosto de 2017






Brasília (RV) - A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) convida comunidades, paróquias, dioceses e regionais do país para uma Jornada de Oração pelo Brasil de 1º a 7 de setembro. Os bispos decidiram mobilizar os cristãos, por meio da oração, após uma nova análise da realidade brasileira de crise política, econômica e institucional feita na última reunião do Conselho Episcopal Pastoral da entidade, no início de agosto. 

Em especial, a sugestão é que o Dia de Oração e Jejum se realize em 7 de setembro, data que marca a Independência do Brasil. Segundo o bispo auxiliar de Brasília e secretário-geral da CNBB, Dom Leonardo Steiner, é uma oportunidade para unir os cristãos e pessoas de boa vontade que querem um Brasil melhor, mais fraterno e não dividido.

“Nós estamos necessitados de um novo Brasil, mais ético; de uma política mais transparente. Nós não podemos chegar a um impasse de acharmos que a política pode ser dispensada. A política é muito importante, mas do modo do comportamento de muitos políticos, ela está sendo muito rejeitada dentro do Brasil. Nós esperamos que esse Dia de Jejum e Oração ajude a refletir essa questão em maior profundidade. ”

Um dos trechos da oração que os fiéis podem rezar durante a data, encaminhada a todos os bispos do país, pede: “Ajudai-nos a construir um país justo e fraterno. Que todos estejamos atentos às necessidades das pessoas mais fragilizadas e indefesas! Que o diálogo e o respeito vençam o ódio e os conflitos! Que as barreiras sejam superadas por meio do encontro e da reconciliação! Que a política esteja, de fato, a serviço da pessoa e da sociedade e não dos interesses pessoais, partidários e de grupos”. (AC/CNBB)



Unidas, Igrejas Católica e Ortodoxa podem fazer muito pela paz no mundo 

Moscou (RV) – A visita do Secretário de Estado Pietro Parolin “será um marco no desenvolvimento das relações entre a Santa Sé e a Igreja Ortodoxa Russa, como também entre o Vaticano e a Federação Russa”. Esta é a convicção do responsável pelo Secretariado para as Relações inter-cristãs do Departamento para as Relações Eclesiásticas Externas do Patriarcado de Moscou, o Hieromonge Stefan (Igumnov), em entrevista à Agência AGI.

Nova página nas relações entre as duas Igrejas - “As relações com o Vaticano – a seu ver – estão se desenvolvendo nos últimos anos de forma ativa, quer na direção das relações entre Estados – após o restabelecimento das plenas relações diplomáticas em nível de embaixadas em 2009 – como na direção das relações entre as duas Igrejas, que abriu uma nova página depois do histórico encontro do Patriarca Kirill com o Papa Francisco em Havana, no ano passado”.

“Trata-se, sem dúvida, de uma visita de grande importância” – sublinhou o representante do Patriarcado russo – recordando que antes de Parolin, visitaram a Rússia somente dois Secretários de Estado: “o Cardeal Agostino Casaroli, em 1988 - que havia participado das celebrações dedicadas aos mil anos de Batismo da Rússia - e o Cardeal Angelo Sodano, em 1999, vindo a Moscou para a consagração da Catedral católica”.

União pela paz no mundo - “O Patriarca de Moscou e o Papa são os líderes mais prestigiados do mundo cristão. Unindo as próprias forças, a Igreja Ortodoxa Russa e a Igreja Católica podem trazer grandes benefícios para a questão da paz no mundo”, comentou o Hieromonge Stefan, ao traçar uma perspectiva para o desenvolvimento das relações entre as duas Confissões cristãs.

“A Igreja Ortodoxa Russa aprecia os esforços pela paz desenvolvidos em várias direções pela Santa Sé e pessoalmente pelo Papa Francisco. Refiro-me – precisou – ao Oriente Médio e a alguns países da África, onde está em andamento um verdadeiro genocídio dos cristãos, mas também a uma série de outras regiões”.

Como exemplo, o religioso citou “o grande sucesso alcançado com a contribuição pessoal do Pontífice para a solução da situação na Colômbia”, ou “a sua visita à República Centro-Africana, que teve um significado importante para o reinício da paz no país”.

O Hieromonge Stefan sublinhou que também a Igreja Ortodoxa Russa “é ativa” na questão da paz e que o tema da “cooperação em temas de atualidade” internacional será tratado no encontro entre o Primaz Ortodoxo com o Secretário de Estado.

Igreja Ortodoxa e os cristãos no Oriente Médio - Particularmente caro a Moscou é o tema do Oriente Médio. “Historicamente, os cristãos nesta região veem na Igreja Ortodoxa russa a sua protetora, explicou. Sua Santidade o Patriarca visitou a Síria e o Líbano em 2011, justamente no início da crise síria e teve a possibilidade de avaliar a situação com os próprios olhos e tirar conclusões sobre a iminência da catástrofe”.

Ao retornar a Moscou, o Patriarca continuou a pedir proteção aos cristãos sírios – acrescentou o representante do Patriarcado – recordando que a Igreja Ortodoxa Russa está trabalhando muito para fornecer a eles assistência humanitária”.

“Trata-se de um trabalho que fazemos em colaboração com os católicos russos, no quadro de um grupo específico de trabalho sobre a questão”.

União de esforços - "Unindo os esforços – sublinhou – as nossas duas Igrejas podem trazer muitos benefícios ao mundo. O Patriarca e o Papa são os dois líderes mais prestigiados no mundo cristão; não têm medo de assumir as próprias responsabilidades em influenciar os processos que ocorrem hoje na sociedade, de levantar a própria voz em defesa dos valores tradicionais, em apoio dos cristãos que sofrem em diversas regiões do mundo, antes de tudo no Oriente Médio, e em favor de toda uma série de outras questões, de cuja solução depende o futuro de toda a humanidade”.

Aumentar o intercâmbio em diversas áreas - Além de temas de atualidade, serão tratados no encontro entre Kirill e Parolin “o desenvolvimento da cooperação entre as duas Igrejas: no campo dos contatos entre clero e fiéis, da colaboração acadêmica, do intercâmbio entre estudantes, do desenvolvimento de programas de peregrinação comum”, antecipou o Hieromonge Stefan.

“Está se desenvolvendo em modo muito dinâmico também a cooperação no campo cultural, para o qual foi instituído um especial grupo de trabalho, que atua em modo regular”.

São Nicolau de Bari - Ao concluir, o representante do Patriarcado frisou que “o evento mais importante das relações interconfessionais, foi o traslado a Moscou das relíquias de São Nicolau de Bari, veneradas por mais de dois milhões de fiéis”.

“Esta elevação espiritual da população, da qual fomos testemunhas, nos diz que a essência das relações entre as duas Igrejas deveria estar precisamente a este nível”. (JE com Agência AGI)





Papa Francisco fica consternado
pelo atentado de Barcelona 

O Papa Francisco "acompanha com grande preocupação os acontecimentos e reza pelas vítimas" do atentado que deixou13 mortos em Barcelona, na Espanha. "O Santo Padre está ao lado do povo espanhol, especialmente dos feridos e das famílias das vítimas”, segundo declaração do porta-voz do Vaticano, Greg Burke.

A Igreja espanhola condena - Proximidade e oração pelas vítimas e suas famílias, apoio à sociedade e às forças policiais e firme condenação do atentado: assim os bispos do País se expressam num comunicado difundido logo após o ataque que abalou a cidade. Segundo fontes oficiais, são 13 os mortos e 80 os feridos, dos quais 15 em estado grave.

“Diante deste episódio trágico e abominável – diz o comunicado – a Conferência Episcopal Espanhola condena toda demonstração de terrorismo, prática intrinsecamente perversa, totalmente incompatível com a visão moral da vida. Não apenas lesa seriamente o direito à vida e à liberdade, mas é a mais dura demonstração de intolerância e totalitarismo”.

“Pedimos a todos os fiéis que elevem orações a Deus para que conceda o descanso eterno aos falecidos, restabeleça a saúde das outras vítimas, dê consolo às famílias e preencha de paz o coração das pessoas de boa vontade, a fim de que nunca mais se repitam atos tão deploráveis”, encerra o comunicado.

Reações - Líderes políticos de todo o mundo, personalidades artísticas e desportivas, instituições prestaram solidariedade às vítimas e muitos recorreram às redes sociais para deixar registrado o seu repúdio ao ato e as suas condolências às famílias da vítimas. O Estado Islâmico reivindicou a autoria do ataque. (BS/CM)

segunda-feira, 14 de agosto de 2017


NOTA DE FALECIMENTO



Comunicamos que no último dia 12.08.2017, às 21h15, faleceu Irmã Maria Gisélia (Bernadete) Pires no Hospital Memorial, em Natal/RN, BRASIL. Ela foi encaminhada ao pronto socorro da UNIMED na manhã dia 28.07.2017, onde passou todo o dia e à tarde foi hospitalizada no Hospital Memorial com pneumonia, dificuldade para respirar e febre alta. Obteve melhora, mas um tempo depois houve um agravamento em seu quadro permanecendo até o seu falecimento com insuficiência cardíaca, pneumonia bacteriana e constrição pulmonar. 



Data de nascimento: 27 de março de 1925, Currais Novos - RN

Entrada no convento: 19 de março de 1944, Açu-RN

Admissão ao Noviciado: 25 de janeiro de 1945, Açu – RN

Data dos Primeiros Votos: 25 de janeiro de 1947, Açu – RN

Data dos Votos Perpétuos: 02 de fevereiro de 1953, Natal – RN

Data de falecimento: 12 de agosto de 2017, Natal-RN

Faleceu aos 92 anos de idade e 70 anos de Vida Religiosa.



O corpo foi velado no Cemitério Morada da Paz em Emaús - Parnamirim/RN, BRASIL. A missa de corpo presente foi realizada às 15h30 sendo presidida  pelo Pe. Hugo Marcel Marcelino Galvão, amigo das Irmãs, em seguida o sepultamento.



Rezamos pedindo que Deus dê à luz eterna a nossa querida Irmã Maria Gisélia (Bernadete) Pires e lhe conceda a Ressurreição com Cristo Jesus.


sábado, 12 de agosto de 2017

Homenagens aos pais do Educandário Jesus Menino em Currais Novos/RN


Audiência Geral: “O perdão divino é o motor da esperança!”

Desde o início do seu ministério público, Jesus aproxima-Se e deixa aproximar de Si leprosos, endemoninhados, doentes e marginalizados. Quando encontra uma pessoa que sofre, Ele assume como próprio o sofrimento dela: não prega que este sofrimento se deve suportar heroicamente, mas faz Sua aquela pena, enche-Se de compaixão por aquele homem ou mulher que sofre. Jesus encarna e revela assim o coração de Deus que quer a cura, a libertação e a vida plena daquela pessoa.
É por isso que Jesus abre os braços aos pecadores. Ainda hoje há tantas pessoas extraviadas, porque não encontram ninguém disponível para as olhar de modo diferente do comum, ou seja, com os olhos, com o coração de Deus: disponível para as olhar com esperança. Ao contrário, Jesus vê uma possibilidade de ressurreição mesmo para quem fez um monte de opções erradas. Mas isso custou-Lhe a cruz! Jesus não foi crucificado, porque cura doentes, prega a caridade e proclama as Bem-aventuranças, mas (e sobretudo) porque perdoa os pecados, quer a libertação total e definitiva do coração humano, não aceita que o ser humano arruíne toda a sua existência com o pensamento de não poder ser acolhido pelo coração misericordioso de Deus. Por isso, perdoa aos pecadores.
E este perdão divino é o motor da esperança! Com o perdão, os pecadores readquirem a serenidade a nível psicológico, vendo-se livres do sentido de culpa. Mas Jesus faz muito mais: oferece-lhes a esperança duma vida nova, uma vida caraterizada pelo amor. E, a quem compreendeu esta verdade basilar, Deus confia a missão mais bela do mundo: o anúncio duma misericórdia que Ele não nega a ninguém.
Saudação aos peregrinos de língua portuguesa
Dirijo uma cordial saudação aos peregrinos de língua portuguesa, convidando todos a permanecer fiéis a Cristo Jesus. Ele desafia-nos a sair do nosso mundo limitado e estreito para o Reino de Deus e a verdadeira liberdade. O Espírito Santo vos ilumine para poderdes levar a Bênção de Deus a todos os homens. A Virgem Mãe vele sobre o vosso caminho e vos proteja.
© Libreria Editrice Vaticana


A devoção de Santa Clara a Virgem Maria

Santa Clara de Assis nutria uma profundíssima devoção a Santíssima Virgem Maria. Na noite decisiva para sua nova vida como religiosa, Santa Clara, por ordem de São Francisco, de Assis se dirigiu à capela da Porciúncula. Nesta igreja dedicada a Virgem Maria, também conhecida como Nossa Senhora dos Anjos, que é a igreja mãe da Ordem Franciscana, Clara recebeu das mãos de Francisco o hábito da Ordem, depois de ter seus cabelos cortados. Segundo seu biógrafo, este acontecimento tem grande importância para Santa Clara: “Não convinha que, à véspera dos tempos novos, florescesse em outro lugar, a Ordem da virgindade senão no palácio daquela que primeira de todas e digníssima foi a única mãe e virgem”.
A vestição de Clara de Assis no Santuário da Mãe de Deus, mostra o que a Santa deveria significar para o mundo: “que as mulheres imitem Clara, vestígio da Mãe de Deus, nova guia das mulheres”. Esta é uma magnífica síntese da vida de Santa Clara!
A profunda devoção de Santa Clara a Virgem Maria
São Francisco, o “discípulo do Verbo encarnado”, foi chamado de “outro Cristo” pelo Papa Pio XII, no dia 2 de fevereiro de 1926. Santa Clara, por sua vez, foi designada como “vestígio da Mãe de Deus”. A presença do binômio homem-mulher parece ser a lei de todas as grandes obras de Deus: Adão e Eva; Jesus Cristo e a Virgem Maria; São Francisco e Santa Clara.
Quanto às influências marianas na trajetória de Clara de Assis e de suas irmãs, dizia-se que “seguiam as pegadas de Cristo e de sua santíssima Mãe”. O próprio Francisco de Assis já contemplava a trajetória de Clara e de suas irmãs a partir desta ótica cristocêntrica e mariana. Santa Clara inseriu na regra da Ordem o teor do bilhete que Francisco lhe enviou antes de morrer: “Eu, Frei Francisco pequenino, quero seguir a vida e pobreza de nosso altíssimo Senhor Jesus Cristo e de sua Mãe santíssima e perseverar nela até o fim”. O que vale para si mesmo, Francisco quer que valha para as damianitas ou clarissas: que sigam a Virgem Maria como mulheres!
Santa Clara corresponde completamente ao pedido-desejo de São Francisco. Vemos esta realidade em alguns aspectos da devoção da Santa por Nossa Senhora. Clara coloca a festa da Assunção da Virgem Maria entre os sete dias do ano em que as irmãs devem receber a comunhão, considerando esta festa como das maiores solenidades do ano para a Ordem. A respeito dessa prática devocional, é necessário recordar que naquele tempo a comunhão não era recebida com frequência, como em nossos dias. Clara de Assis invoca a Santíssima Virgem como protetora das clarissas de maneira toda particular, não simplesmente como era o costume cristão da época. Outro sinal desse amor preferencial de Santa Clara por Nossa Senhora é a suspensão do jejum em suas festas, segundo o desejo de São Francisco.
Santa Clara venerava a Virgem Santíssima porque tinha plena confiança em seu socorro. A Mãe de Deus cuida efetivamente de cada um de nós! Ela é verdadeira nossa Mãe, ensina-nos a aproximar-nos de Jesus Cristo e torna-nos exemplo luminoso do seguimento a Ele. Imitar a Virgem Maria é o caminho mais seguro para unir-nos a Jesus Cristo. Por isso, não podemos deixar de manifestar a Nossa Senhora o nosso afeto filial. 

terça-feira, 8 de agosto de 2017

Programação de comemoração pelo Dia dos Pais, no Educandário Santa Taresinha em Caicó RN


Como identificar a vocação sacerdotal e religiosa

Vocação sacerdotal e religiosa: como descobrir se sou chamado a vivê-la?
Jesus chamou para apóstolos “aqueles que Ele quis”, depois de passar a noite em oração. A Igreja viu nisso o chamado ao sacerdócio e também às outras formas de vida religiosa. É Jesus quem chama o jovem à vida sacerdotal, o que não é fácil. A vida religiosa exige muitas renúncias para ser “todo de Deus”, estar a serviço do Seu Reino para a edificação da Igreja e a salvação das almas.

Prof,Felipe Aquino

Audiência: Ser batizado significa estar chamado a difundir a esperança de Deus

O Rito do Batismo é composto de vários sinais que ajudam a entender qual é a esperança que anima o coração dos fiéis e a missão dos cristãos no mundo.
Durante a Profissão de Fé, a pessoa que será batizada – ou seus pais e padrinhos, se se trata de uma criança – confessa sua fé em Deus que é nosso Pai, no Filho, Jesus Cristo, que se fez um de nós, e no Espírito Santo, que transforma sem cessar a humanidade.
Desse modo, o catecúmeno, “orienta” a sua vida para Cristo, na certeza de que a graça divina será seu auxílio para vencer as trevas do pecado e viver sempre na Luz de Deus.
Símbolo dessa nova luz na vida do cristão é a vela que é entregue ao neófito nos ritos finais da celebração: acesa no Círio Pasqual, que representa Cristo Ressuscitado, é um sinal da Ressurreição de Jesus que vai se propagando pela história e que nos recorda que devemos ser cristóforos nesse mundo: portadores de Cristo.
De fato, ser batizado significa estar chamado a difundir a luz da esperança de Deus neste mundo sem esperança.
Palavras do Papa Francisco aos peregrinos de língua portuguesa
 Dirijo uma cordial saudação aos peregrinos de língua portuguesa, concretamente aos membros da Fraternidade dos Irmãozinhos de Assis aqui presentes.
Queridos amigos, ser batizado significa ser chamado à santidade.
Imploremos a graça de poder viver os nossos compromissos batismais como verdadeiros imitadores de Jesus, nossa esperança e nossa paz.
Que Deus vos abençoe!

Arqueólogos podem ter descoberto cidade de Pedro, André e Filipe

Arqueólogos acreditam ter encontrado a cidade romana perdida de Julias, terra dos três apóstolos de Jesus: Pedro, André e Filipe. A descoberta foi feita na margem norte do Mar da Galileia, na Reserva Natural do Vale de Betsaida.
“Filipe era natural de Betsaida, cidade de André e Pedro”; “Estes se aproximaram de Filipe (aquele de Betsaida da Galileia)” 
João 1,44:  (João 1,44; 12,21).
Peça chave: Casa de banho estilo romano
A peça chave da descoberta é uma casa de banho no estilo romano. Por si só, isto já indicaria que existiu uma verdadeira cidade no local e não apenas uma vila de pescadores, declarou ao jornal israelense Haaretz o Dr. Mordechai Aviam, do Kinerret College.
Ninguém além do historiador Josephus Flavius – de fato a única fonte que descreve a existência desta cidade –  escreveu que o Rei judeu Herodes Filipe, filho do rei vassalo Herodes, o Grande, transformou Betsaida – que era uma vila de pescadores judeus – em uma “polis” romana (Ant. 18:28. Embora seja construído sobre Betsaida, ou por isso, permanece desconhecido).
Josephus relatou que o rei havia promovido Betsaida de uma aldeia para uma polis, uma verdadeira cidade, “afirma meticulosamente Aviam.” Ele não disse que tinha sido construído “em”, ou “ao lado”, ou “embaixo dela”. E, de fato, durante todo esse tempo, não sabemos onde foi. Mas a casa de banho atesta a existência da cultura urbana”.
A cidade de Julias
A cidade recebeu o nome de “Julias” em homenagem à Julia Augusta, mãe do Imperador Romano Tiberius, que antes de se casar era chamada de Livia Drusilla.
O próprio Josephus assumiria a responsabilidade pelo fortalecimento das defesas de Betsaida (conforme ele mesmo relatou) antes da Grande Revolta Judaica contra Roma que começou em 67 d.C., e acabaria em desastre para os judeus em 70 d.C. O próprio Josephus afirmou ter sido ferido na batalha em um pântano próximo a Julias (Vida 399-403).
Na verdade, existem três locais que poderiam ser a cidade de Julias: este, chamado el-Araj e dois sítios próximos ao lago.
Depois de encontrar de forma inesperada a casa do banho e outros vestígios da era romana, abaixo das ruínas bizantinas (anteriormente conhecidas) do local, os arqueólogos acreditam que este sítio, no delta do Rio Jordão, na margem norte do mar da Galiléia, seja o candidato mais forte .
O que os arqueólogos encontraram em el-Araj é uma camada mais antiga que data do período romano tardio, do 1 ° ao 3 ° século C.E., dois metros abaixo da camada bizantina.
Essa camada romana continha blocos de cerâmica dos séculos I ao III, C.E., um mosaico e os restos da casa de banho. Foram encontradas ainda duas moedas, uma moeda de bronze do final do século II e um denário de prata com a efígie do Imperador Nero do ano 65-66 d.C.
Vestígios de uma antiga igreja?
Os escavadores também encontraram paredes com verdadeiros tesouros de vidro dourado para um mosaico, uma indicação da existência de  uma rica e importante igreja.
Willibald, o Bispo de Eichstätt na Baviera, visitou a Terra Santa em 725 d.C., e em seu itinerário, ele descreve sua visita a uma igreja em Betsaida que foi construída sobre a casa de Pedro e André. Pode ser que as escavações atuais tragam maiores evidências sobre a existência desta igreja, dizem os arqueólogos.
Um argumento chave a favor de el-Araj ser Julia, reside em um erro de cálculo sobre o nível do Mar da Galiléia, apontam os arqueólogos.
A camada romana descoberta está a 211 metros abaixo do nível do mar. O nível do lago era evidentemente mais baixo do que se pensava anteriormente, “e el-Araj certamente não estava debaixo de água no período romano”, afirmam.
Os geólogos Prof. Noam Greenbaum da Universidade de Haifa e o Dr. Nati Bergman do Laboratório Limnológico de Yigal Alon Kinneret estudaram as camadas do local e concluíram que o sítio estava coberto de lama e argila que eram transportadas pelo rio Jordão no período do Império Romano Tardio, o que corresponde a uma lacuna no material remanescente do período aproximado entre 250 d.C. a 350 d.C.
Mais tarde, no período bizantino, o sítio foi aterrado, concluem os arqueólogos.
Assim, a continuidade nas escavações pode revelar novas descobertas.
Por Rádio Vaticano

quinta-feira, 3 de agosto de 2017

COLÉGIO DAS NEVES FESTEJA 85 ANOS DE HISTÓRIA COM PROGRAMAÇÃO DIVERSIFICADA

Agosto é um mês especial para o Colégio Nossa Senhora das Neves, em Natal. Fundada no ano de 1932 pela Congregação das Filhas do Amor Divino, a escola comemora, no próximo sábado (5), 85 anos de história. Para celebrar o aniversário, foi preparada uma vasta programação com atividades artísticas, culturais e religiosas que convidará pais, alunos e Sempre Alunos a voltar no tempo e festejar todo o trabalho desenvolvido na formação social e educacional de crianças e jovens desde a fundação até os dias atuais.
Os festejos internos começam a partir de terça-feira (1º) e seguem até o dia 10. A programação conta com orações especiais, desfile do Programa de Vida de Madre Francisca Lechner, contação de história do Neves, intervalos interativos, exposição de obras de artes do colégio com visita guiada, vernissage da aluna Rebeca Lima Silva Teixeira Leite, apresentação musical da Banda dos Fuzileiros Navais da Marinha, entrega de presentes aos alunos, além do Terço do Sempre Aluno, que será realizado segunda-feira (7), às 19h30, na Capela do Neves, e Missa em homenagem aos pais, no dia 10, às 19h, também na Capela.
O auge das comemorações acontece no sábado (5), com a celebração da missa de ação de graças, às 16h, no Auditório Madre Francisca Lechner, e apresentação do marco comemorativo.

Papa explica o significado do Batismo

Ser batizado significa ser chamado a difundir a luz da esperança de Deus neste mundo sem esperança”. Ao retomar as Audiências Gerais após a pausa no mês de julho, o Papa Francisco dedicou sua catequese ao “Batismo, como porta da esperança”.
Dirigindo-se ao sete mil presentes na Sala Paulo VI, Francisco começou sua reflexão recordando que nos tempos modernos praticamente desapareceu o fascínio pelos antigos ritos do Batismo, assim como alegorias que tinham um grande significado para o homem antigo, como a orientação das Igrejas para o Oriente, “local onde as trevas eram vencidas pela primeira luz da aurora, o que nos remete a Cristo”, “que nos vai trazer do alto a visita do Sol nascente.”
Permanece intacta em seu significado no entanto – observou o Papa – “a profissão de fé feita segundo a interrogação batismal, que é própria da celebração de alguns sacramentos”.
Mas, o que quer dizer “ser cristãos?”, pergunta. “Quer dizer olhar para a luz, continuar a fazer a profissão de fé na luz, mesmo quando o mundo é envolvido pela noite e pelas trevas”:
“Nós somos aqueles que acreditam que Deus é Pai: esta é a luz! Acreditamos que Jesus desceu entre nós, caminhou em nossas próprias vidas, tornando-se companheiro especialmente dos mais pobres e frágeis: esta é a luz! Nós acreditamos que o Espírito Santo age incansavelmente para o bem da humanidade e do mundo, e até mesmo as maiores dores da história serão superadas: esta é a esperança que nos desperta todas as manhãs! Acreditamos que cada afeto, cada amizade, cada desejo bom, cada amor, até mesmo aqueles mais momentâneos e negligenciados, um dia encontrarão o seu cumprimento em Deus: esta é a força que nos impulsiona a abraçar com entusiasmo a nossa vida todos os dias!”
O Papa recorda então outro sinal “muito bonito da liturgia batismal, que nos recorda a importância da luz”, que é quando ao final do rito é entregue aos pais da criança – ou ao adulto batizado – uma vela, cuja chama é acesa no Círio Pascal.
O Círio Pascal que na noite de Páscoa entra na igreja completamente escura, para manifestar a Ressurreição de Jesus:
“Daquele Círio – explica Francisco – todos acendem a própria vela e transmitem a chama aos vizinhos: neste sinal existe a lenta propagação da ressurreição de Jesus na vida de todos os cristãos. A vida da Igreja é contaminação de luz”.
O Santo Padre reitera então a importância de sempre recordarmos de nosso Batismo, explicando:
“Nós nascemos duas vezes: a primeira à vida natural, a segunda, graças ao encontro com Cristo, na fonte batismal.
Ali somos mortos para a morte, para viver como filhos de Deus neste mundo. Ali nos tornamos humanos como nunca poderíamos ter imaginado. Eis porque todos devemos espalhar a fragrância do Crisma com o qual fomos marcados no dia do nosso Batismo. Em nós vive e opera o Espírito de Jesus, o primogênito de muitos irmãos, de todos aqueles que se opõem a inevitabilidade das trevas e da morte”.
“Que graça – exclama Francisco – quando um cristão torna-se realmente um “cristóforo”, um “portador de Cristo” no mundo!”, sobretudo “para aqueles que estão atravessando situações de luto, de desespero, de trevas e de ódio”, e isto pode ser percebido por tantos pequenos gestos:
“Da luz que um cristão traz nos olhos, da profunda serenidade que não é afetada mesmo nos dias mais complicados, pelo desejo de recomeçar a querer bem mesmo quando se tenha experimentado muitas decepções”.
“No futuro – pergunta o Papa ao concluir sua reflexão – quando for escrita a história do nosso dia, o que se dirá de nós? Que fomos capazes de esperança, ou que colocamos a nossa luz debaixo do alqueire? Se formos fiéis ao nosso Batismo, propagaremos a luz da esperança de Deus e poderemos passar para as gerações futuras razões de vida”.
Ao saudar os peregrinos em língua portuguesa, o Papa Francisco citou, em particular, os membros da Fraternidade dos “Irmãozinhos de Assis” presentes.
“Ser batizados – disse o Papa– significa ser chamado à Santidade. Peçamos a graça de poder viver os nossos compromissos batismais como verdadeiros imitadores de cristo, nossa esperança e nossa paz”.
Por Rádio Vaticano

terça-feira, 1 de agosto de 2017


FILHAS DO AMOR DIVINO CELEBRAM O DOM DA VIDA



É tempo de rendermos graças a Deus pelo aniversário de Irmã Ana Carla de Melo Silva, FDC, Superiora da Província Nossa Senhora das Neves, comemorado hoje e cuja vida é pautada pelos ensinamento da Madre Francisca Lecher: fazer o bem, alegrar, tornar feliz e conduzir ao céu.
Celebrar o aniversário é também uma maneira de agradecer a Deus pelo dom da vida e por nos proporcionar bons momentos, ao lado dessa mulher de coração grandioso e cheio dos dons da bondade, solidariedade e amor ao próximo. Que Deus continue a derramar muitas bênçãos sobre ela e que possamos continuar desfrutando da sua companhia e da sua amizade.




FELIZ ANIVERSÁRIO!

terça-feira, 25 de julho de 2017

Visita do Papa no Peru: em Lima dois locais para acolher entre 2 e 5 milhões de pessoas

Para a chegada do Papa Francisco ao Peru em 18 de janeiro de 2018, já foram identificados em Lima dois locais aptos a acolher entre 2 e 5 milhões de pessoas. O indicou à RPP Noticias o Diretor da Comissão organizadora do Arcebispado de Lima, Padre Luis Gaspar Uribe que acrescentou: “Roma já sabe quais são e estamos à espera da aprovação”.
Em Lima o Papa terá dois encontros que deverão reunir milhares de fiéis: um deles com os jovens e o outro com as famílias e a população no geral.
Uma das Comissões do Vaticano encarregada das viagens pontifícias já esteve no Peru há dois meses, para avaliar os locais aptos a receberem os eventos com o Papa. Dias mais tarde foi a vez dos encarregados das medidas da segurança. “Estas comissões levam suas informações e o Vaticano as analisa. Logo, vem a aprovação do programa”, comentou Padre Gaspar.
O sacerdote também anunciou que mais de 20 mil jovens voluntários farão parte da “Guarda do Papa”, que dará apoio logístico durante a visita do Pontífice ao país.
A “guarda” será formada por jovens de boa vontade de todos os estratos sociais, e estarão encarregados de ajudar as pessoas que participarão dos encontros com o Papa Francisco em Lima, Trujillo e Puerto Maldonado.
“O Santo Padre não vem como um artista, não vem dar um show, fazer teatro ou participar de um circo. Ele vem como um pai que visita seus filhos”, sublinhou Padre Gaspar e antecipou que na primeira semana de agosto será lançado o site sobre a visita, onde estará disponível, entre outros, um espaço para a inscrição dos jovens que queiram fazer parte da “guarda”.
“Uma das características em todas as visitas dos papas são os jovens”, observou.
O Papa deverá chegar ao Peru no final da tarde do dia 18. No dia seguinte irá à Puerto Maldonado.  Em 20 de janeiro passará o dia em Trujillo, enquanto que o domingo 21 será dedicado à capital Lima.
O Cardenal Juan Luis Cipriani dirigiu uma Carta Pastoral ao povo de Lima pela chegada do Papa Francisco, na qual pede rezar pelas intenções do Santo Padre e pelos frutos da visita ao país, a qual foi lida em todas as paroquias.

ZENIT

Igreja se prepara para Dia de Oração pelos Cristãos Perseguidos

Fiéis de todo o país são convidados a se unirem em oração pelos cristãos perseguidos por sua fé.
No próximo dia 6 de agosto, domingo da Solenidade da Transfiguração do Senhor, a Igreja Católica motiva os fiéis a se unirem ao Dia Internacional de Oração pelos Cristãos Perseguidos.
Serão muitas as iniciativas das comunidades pelo Brasil. Em São Paulo, o Cardeal Arcebispo Odilo Pedro Scherer celebrará a Santa Missa às 9h na Catedral da Sé, com a presença de religiosos da Igreja Oriental. No Rio de Janeiro, haverá Missa na intenção dos cristãos perseguidos às 12h na Paróquia São José da Lagoa e às 16h, o Cardeal Arcebispo Orani João Tempesta realizará uma celebração no Cristo Redentor.
O presidente da Fundação Pontifícia Ajuda à Igreja que Sofre (ACN) no Brasil, Frei Hans Stapel, com o apoio da CNBB, escreveu uma carta aos párocos do país pedindo comunhão à causa. Os fiéis podem se unir à intenção de várias formas, às paróquias, é sugerida colocar a intenção na Oração dos Fiéis; aos grupos, pastorais e famílias a sugestão é rezar o Terço, um momento de Adoração ou mesmo a oração pessoal, nas intenções de toda pessoa que sofre por viver sua fé.
De acordo com estatísticas do Center for Study of Global Christianity, em 2016, 1 cristão foi morto a cada seis minutos, simplesmente por professar a sua fé. O Oriente Médio e o norte da África continuam como a região onde a perseguição é mais cruel.
Para aprofundar essa realidade, a ACN publica a cada dois anos o Relatório sobre a Liberdade Religiosa no mundo. A 13ª edição do documento, com dados de junho de 2014 a junho de 2016, mostra a situação e a vivência do direito à expressão da fé particular em 196 países, inclusive o Brasil.
Em março deste ano, no vídeo com suas intenções de oração mensal, o Papa Francisco lembrou a realidade dos que são perseguidos por sua fé, e questionou: “quantos de vocês rezam pelos cristãos que são perseguidos?”
O Pontífice motivou os fiéis: “Animem-se a fazer isso comigo, para que experimentem o apoio de todas as Igrejas e comunidades, por meio da oração e da ajuda material”
Por Canção Nova com ACN

Papa Francisco faz doação à FAO para ajudar países da África Oriental

Para ajudar as populações da África oriental, o Papa Francisco doou simbolicamente 25 mil euros à FAO, Agência das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura.
A intenção do Papa foi expressa na mensagem para a sessão inaugural da 40ª Conferência Geral da ONU. No texto lido na ocasião, Francisco escreve que gostaria de se unir com uma contribuição ao programa da FAO que fornece sementes às famílias rurais que vivem em áreas atingidas por conflitos e secas. Este gesto tem a intenção de encorajar os governos e se acrescenta ao trabalho que a Igreja leva avante “segundo a própria vocação de estar ao lado dos pobres da terra”.
A notícia da doação foi divulgada pela Agência da ONU e a define como um “gesto sem precedentes”. A FAO recorda que na África Oriental pelo menos 22 milhões de pessoas não têm o suficiente para se alimentar.
Seis países em dificuldade
“Uma grave situação se registra no Sudão do Sul, onde ainda existem seis milhões de pessoas que todos os dias lutam para obter alimentos. Em outros cinco países – Somália, Etiópia, Quênia, Tanzânia e Uganda –, cerca de 16 milhões de moradores necessitam de assistência humanitária. Desde o fim de 2016, houve um incremento de cerca 30% no número de pessoas que precisam de ajuda.
Dia Mundial da Alimentação
O Papa Francisco visitará novamente a sede da FAO em 16 de outubro próximo, por ocasião do Dia Mundial da Alimentação, que este ano tem por tema “Mudar o futuro da migração. Investir na segurança alimentar e no desenvolvimento rural”.
Por Rádio Vaticano

quarta-feira, 19 de julho de 2017

Diretora do Neves participa de debate sobre futuro da educação em evento nacional


A diretora do Colégio Nossa Senhora das Neves, em Natal/RN, Irmã Aparecida Costa, está em Belo Horizonte (MG) representando a instituição no IV Congresso Nacional de Educação Católica, realizado pela Associação Nacional de Educação Católica do Brasil (ANEC). O evento, que começa nesta quarta-feira (19) e segue até sexta-feira (21), tem como tema a "Educação Católica e os Desafios do Século XXI – Debater o presente para construir o futuro".
Na pauta das discussões estão a nova Base Nacional Curricular Comum (BNCC) e a Reforma do Ensino Médio, frente à necessidade de se informar, conhecer e estudar para propor diretrizes e direções capazes de nortear os rumos da educação brasileira.
O Congresso tem em sua programação palestras com convidados renomados, como o ex-ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro, e o professor Mário Sérgio Cortella, da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP).

Papa nomeia o secretario da Congregação para a Doutrina da Fé

O Papa Francisco nomeou o novo secretário da Congregação para a Doutrina da Fé. E’ Dom Giacomo Morandi, até agora Sub-Secretário da mesma Congregação, designando a ele a Sede titular de Cerveteri, com dignidade de Arcebispo.
O indica um comunicado da Sala de Prensa da Santa Sé, precisando que Dom Giacomo Morandi nasceu em Modena, em 24 de agosto de 1965. Foi ordenado sacerdote pela Arquidiocese de Modena-Nonantola em 11 de abril de 1990.
Formou-se em Ciências Bíblicas no Pontifício Instituto Bíblico de Roma em 1992. Posteriormente, em 2008, obteve o Diploma e o Doutorado em Teologia da Evangelização (Missiologia) na Pontifícia Universidade Gregoriana.
Após ter assumido alguns encargos pastorais, foi nomeado Vigário Episcopal para a catequese, evangelização, cultura e, sucessivamente, Arcipreste do Capítulo da Catedral e Vigário Geral da Arquidiocese de Modena-Nonantola.
É docente de Sagrada Escritura no Instituto Superior de Ciências Religiosas de Modena e de Exegese Patrística no “Atelier de Teologia Cardeal Spidlìk”  no Centro Aletti de Roma, ligado ao Pontifício Instituto Oriental.
Foi nomeado Sub-Secretário da Congregação para a Doutrina da Fé em 27 de outubro de 2015. (JE)
O comunicado indica também que o Papa aceitou a renuncia do bispo argentino de Mar del Plata, Mons. Antonio Marino e nomeou ao Don Gabriel Antonio Mestre, vicário geral e pároco da catedral da cidade.
 ZENIT

CNBB lança 4ª edição da coleção “Pensando o Brasil”, texto é sobre educação

O texto ‘Pensando o Brasil: Educação’, quarto da série ‘Pensando o Brasil’ já está disponível no site da ‘Edições CNBB’. O documento, objeto de estudo aprofundado pelos mais de 300 bispos durante a 55ª Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), ocorrida em Aparecida (SP), no mês de abril, aborda três aspectos da realidade educacional brasileira, entre eles, o cenário da educação no Brasil; os caminhos para a superação dos principais desafios e, por último, as pistas para a ação.
As reflexões apresentadas no texto buscam caminhos para uma melhoria na qualidade da educação no Brasil, condição fundamental para o desenvolvimento da nação. “Que este texto seja instrumento para provocar a discussão nas escolas e universidades, nas famílias e comunidades”, exorta o secretário geral da CNBB, dom Leonardo Steiner. Para ele, é preciso estimular o diálogo, a avaliação e a participação em um amplo debate nacional que trará ganhos não apenas para a educação, mas para a própria vivência da cidadania.
“A educação é a tarefa do cuidado com a nossa própria existência. Uma vez que somos seres inconclusivos, não nascemos prontos, acabados, precisamos nos organizar em sociedade para acolher o novo e construir condições para a continuidade da vida e a transformação da cultura e da sociedade. Para tanto, educar é estabelecer uma relação entre o que já existe ou o que é conhecido e o que ainda não se conhece (…)”, diz um trecho da apresentação da publicação.
A coleção é uma contribuição da CNBB para a construção de um Brasil mais ético, justo e fraterno. “São textos que desejam provocar o debate e a reflexão”, afirma dom Leonardo Steiner. Em volumes anteriores, o “Pensando o Brasil” já abordou os “Desafios diante das eleições de 2014; “A desigualdade social no Brasil” e “Crises e Superações”. “É no diálogo que se pode chegar a um movimento benfazejo e transformador”, finaliza dom Leonardo.
A publicação pode ser adquirida pelo telefone: (61) 2193-3019, no site da Edições ou ainda pelo e-mail: vendas@edicoescnbb.com.br.
Por CNBB

No caminho para a santidade, Dom Inocêncio é nome de cidade no Piauí

O estado do Piauí poderá ter em Dom Inocêncio López Santamaria o seu primeiro Santo. Membro da Ordem dos Padres Mercedários, o espanhol foi enviado missionário e permaneceu até o fim da vida no nordeste brasileiro, bispo da então Prelazia Bom Jesus do Gurgueia, hoje Diocese de São Raimundo Nonato.
Dom Inocêncio: Roma, e depois o Piauí
O Servo de Deus Inocêncio López Santamaria nasceu na aldeia de Sotovellanos, na província de Burgos, em 1874. Foi ordenado padre aos 22 anos, em 1897, na Ordem das Mercês no Convento de Conjo, em Santiago de Compostela. Sagrado bispo em  1930, o religioso chegou a São Raimundo Nonato no dia 18 de janeiro de 1931.  
Durante vinte e sete anos e cinco meses de pastoreio na Prelazia, trabalhou com todo o zelo apostólico nas frequentes visitas a todas as paróquias de sua circunscrição, sem medir esforços.
Uma vida pela educação dos mais pobres
Uma de suas grandes preocupações foi a formação de um clero autóctone. Uma característica marcante de Dom Inocêncio era também o trabalho das religiosas como complemento na educação moral e cívica do povo.
Dom Inocêncio faleceu no Hospital Espanhol de Salvador, Bahia, no dia 9 de março de 1958 e está sepultado na Catedral de São Raimundo Nonato.
Venerado em todo o Nordeste
O bispo era tão querido pelos nordestinos que seu corpo foi velado na Catedral de Juazeiro-BA, na Catedral de Petrolina-PE e na igreja de Remanso-BA, a partir da qual foi conduzido com carreata por estrada carroçável de 96km até a Catedral de São Raimundo Nonato-PI, onde outra gigantesca multidão o aguardava.
Ouça Frei Reginaldo Roberto Luiz, Conselheiro geral da Ordem, responsável pelas causas dos Santos junto ao Vaticano, falar um pouco mais sobre Dom Inocêncio aqui.
Por Rádio Vaticano

quarta-feira, 5 de julho de 2017

Alunos do Santa Teresinha visitam Exposição sobre a História do RN

Um grupo formado por alunos das turmas do 5º Ano A e B, do Educandário Santa Teresinha, visitaram a exposição Descobrindo o Rio Grande do Norte com Luís da Câmara Cascudo, que está exposta no Centro Educacional José Augusto, no município de Caicó-RN.   
Durante a visita os estudantes foram apresentados aos espaços onde estão exibidas peças que revelam detalhes da linha do tempo do Estado e seu contexto no Brasil e no mundo, com destaque também para aspectos fundamentais da cultura seridoense. Estão instalados textos sobre a história da região, com ênfase em canções alusivas à região e na exibição de figuras rupestres.
Para ilustrar a mostra foi produzido um catálogo especial com 46 páginas com ilustrações, informações sobre a vida social, o folclore, a formação étnica, entre outros temas relativos ao Rio Grande do Norte.