segunda-feira, 29 de maio de 2017

IV Encontro mundial das Novas Formas de Vida Consagrada

As Novas Formas de Vida Consagrada realizarão seu quarto encontro mundial em Roma, de 8 a 10 de junho, sob tema será “Abrindo caminhos: a formação nas Novas Formas de Vida Consagrada”.
É esperada a participação de cerca 40 instituições. Até o momento já foram confirmadas as presenças de representantes de 25 países dos cinco continentes.
O objetivo central do encontro é reunir os Institutos e Associações de direito pontifício e diocesano – já aprovados como vida consagrada ou em vias de sê-lo – para aprofundar os traços comuns destes novos carismas.
O específico deste IV Encontro será a reflexão sobre a necessidade de formação “em todos e cada um” dos membros destas novas formas de vida consagrada.
Formar-se significa viver com Cristo e por Ele, adequar-se a Ele e à sua oblação total; Ele é o centro de todo processo formativo (cf. Rodríguez Carballo, Congresso internacional para formadores).
No programa se alternarão palestras e trabalhos de grupo. O encontro se concluirá com uma sessão plenária na qual serão apresentadas as conclusões dos diferentes grupos e que será presidida pelo Secretário do Pontifício Conselho para a Promoção da Nova Evangelização, Dom José Octavio Ruiz Arenas.
A equipe de coordenação do encontro é formada por membros da fraternidade Missionária Verbum Dei e pelo Instituto Id de Cristo Redentor. Os encontros serão realizados na Casa Enrico De Ossò (Via Val Cannuta, 134 – 00166 Roma).
Por Rádio Vaticano

Grupo de Assessores avalia Assembleia Geral da CNBB e reflete sobre CF 2018

O Grupo de Assessores (GA) da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) está reunido nesta segunda-feira (29), na sede da entidade em Brasília (DF), para a primeira reunião após a 55ª Assembleia Geral, ocorrida em Aparecida (SP), entre os dias 26 de abril e 5 de maio.
Na reunião, presidida pelo bispo auxiliar de Brasília e secretário -geral da CNBB, dom Leonardo Ulrich Steiner, os assessores avaliaram os trabalhos da Assembleia Geral. “Foi feita uma avaliação geral do serviço prestado pelos assessores durante a assembleia geral já que eles são os responsáveis pelo andamento dos trabalhos durante os dias de encontro”, destacou dom Leonardo.
Na segunda parte da reunião, o grupo vai discutir contribuições para a próxima Campanha da Fraternidade, que tem como tema “Fraternidade e superação da violência”, e como lema “Em Cristo somos todos irmãos” (Mt, 23, 8).
Segundo dom Leonardo, o grupo vai avaliar as propostas do cartaz, do hino, alguns pontos do texto que precisam ser discutidos, os elementos necessários para a realização da campanha.
As reflexões feitas da reunião do GA, que acontecem mensalmente, serão levadas para a reunião do Conselho Episcopal Pastoral (Consep) da CNBB que começa nesta terça-feira (29), e prosseguirá até quarta-feira, 31.
Por CNBB

sábado, 27 de maio de 2017


O lugar do Cristão é o mundo, onde predicar Jesus, com os olhos postos no céu



(ZENIT – Cidade do Vaticano, 26 maio. 2017).- O Papa Francisco recordou que o lugar do Cristão é o mundo, onde tem que predicar Jesus, com os olhos postos no céu. Foi nesta sexta-feira, na homilia da missa matutina na capela da Casa Santa Marta, onde indicou três pontos de referência no caminho cristão.
O primeiro é a memória e “cada um de nós tem a sua própria Galileia”, aquele lugar aonde Jesus se manifestou pela primeira vez, o conhecemos e “tivemos a alegria e o entusiasmo de segui-lo”.
“Para ser um bom cristão - assegurou o Papa - precisamos sempre nos lembrar do primeiro encontro com Jesus ou dos seguintes”. Esta é “a graça da memória”, que “no momento da provação, me dá a certeza”.
O segundo ponto de referência é a oração: Jesus sobe ao Céu, mas fica sempre ligado, para interceder por nós. “Mostra ao Pai as chagas, o preço que pagou por nós e pela nossa salvação”.
“Devemos pedir a graça de contemplar o Céu, a graça da oração, a relação com Jesus na oração que neste momento nos ouve, está conosco”, indicou o Sucessor de Pedro.
O terceiro ponto: o mundo. “Ide mundo afora e façam discípulos” porque “o lugar dos cristãos é o mundo no qual anunciar a Palavra de Jesus, para dizer que fomos salvos, que Ele veio para nos dar a graça, para nos levar com Ele diante do Pai”.
“A topografia do espírito cristão”, disse o Papa, os três lugares de referência de nossa vida são: a memória, a oração e a missão; e as três palavras de nosso caminho: Galileia, Céu e Mundo.
“Ir em missão é viver e dar testemunho do Evangelho; é fazer saber aos outros como é Jesus. Mas fazer isso com o testemunho e com a Palavra, porque se eu falar como Jesus e como a vida cristã, mas viver como um pagão, não adianta. A missão não funciona”.

“Se vivermos na memória, na oração e em missão -concluiu Francisco- a vida cristã será bela e também alegre”.

Papa às irmãs de Dom Orione: anunciar o perdão e o abraço do Pai, fonte de alegria, de serenidade e de paz


(ZENIT – Cidade do Vaticano, 26 maio 2017).- O Papa Francisco recebeu nesta última sexta-feira, na sala do Consistório no Vaticano, as Pequenas irmãs missionárias da caridade, fundadas por dom Orione. As irmãs orionitas missionárias estão em Roma no seu capítulo geral.
São Luís Orione, fundador da Pequena Obra da Divina Providência, fundou dois ramos de famílias religiosas no norte da Itália, na cidade de Tortona, para servir a Deus, a Igreja e a humanidade: o masculino e o feminino. O ramo feminino ele denominou de “Pequenas Irmãs Missionárias da Caridade” (PIMC), nascido aos 29 de junho de1915.
O Pontífice recordou às religiosas que o missionário é chamado a ser “uma pessoa audaz e criativa”, uma pessoa «livre» das tentações da “comodidade”, da “preguiça”, da “mundanidade” e “habitada pelo Espírito”.
E necessário “repensar os objetivos, as estruturas, o estilo e os métodos de missão” porque “vivemos um tempo onde é necessário repensar tudo à luz do que nos pede o Espírito”, disse o Papa.
E “um olhar especial”, aquele de Jesus que não julga; “um olhar de proximidade”; um “olhar de fé respeitosa e de plena compaixão”.
O missionário deve ter igualmente uma “espiritualidade fundada em Cristo, sobre a Palavra de Deus, e a liturgia”. E dele “pede-se que seja profeta da misericórdia”, capaz de se deixar “provocar pelo grito de ajuda de tantas situações de dor e de sofrimento”.
Nesta veste, em particular, ele anuncia “o perdão e o abraço do Pai, fonte de alegria, de serenidade e de paz”.

sexta-feira, 26 de maio de 2017


Significado mais profundo da presença da Virgem Maria no Mistério da Ascensão do Senhor Jesus Cristo



Na solenidade da Ascensão de nosso Senhor Jesus Cristo, 40 dias após o Domingo da Ressurreição, é significativo que meditemos sobre a presença discreta da Santíssima Virgem Maria. Pois, a sua presença foi importante não somente para os discípulos de Cristo que estavam naquele momento, mas também para todos os membros da Igreja de todos os tempos.
A presença de Maria Santíssima na Ascensão do Senhor é um dado que a tradição da Igreja nos transmitiu através da iconografia. E a Liturgia Bizantina recorreu aos ícones sagrados para elaborar seus ofícios litúrgicos para a solenidade da Ascensão, destacando a presença de Mãe do Senhor neste acontecimento.
A presença de Maria nos ícones da Ascensão do Senhor - Desde a primitiva representação da Ascensão do Senhor, em Monza, datada do século IV ou V, Nossa Senhora ocupa o lugar central entre o grupo dos discípulos, que dirigem seu olhar ao Cristo que ascende aos Céus, rodeado por anjos. Estes anunciam que, tal como Jesus subiu aos Céus, Ele voltará cheio de glória (At 1, 10-11). O Evangeliário de Rabbula de Edessa oferece uma imagem da Ascensão com um colorido impressionante: “Os detalhes da Virgem Maria são espetaculares. De pé, entre o grupo dos apóstolos, Nossa Senhora ocupa o lugar central. Ela está revestida com um manto púrpura da ‘Theotokos’, a Mãe de Deus. Suas mãos estão numa posição de oração, como se quisesse acompanhar o movimento de ascensão de seu Filho”.
A Liturgia Bizantina recorre à iconografia para elaboração de alguns tropários – que são formas de poema presentes no rito das Igrejas do Oriente, tocados como forma do louvor – referentes à festa da Ascensão, dando voz à expressão iconográfica.
Abaixo, temos um texto das Vésperas da solenidade da Ascensão do Senhor que transmite essa ideia: Era conveniente que quem, como Mãe, sofreu mais que ninguém a Paixão, fosse agraciada por contemplar a Glorificação de Teu Corpo. Associando a Virgem Maria aos apóstolos, testemunhas essenciais dos acontecimentos, segundo as Sagradas Escrituras, a Liturgia Bizantina expressa a Teologia deste mistério com a seguinte oração: Doce Jesus, que sem abandonar a comunhão com o Pai, quiseste submeter a nossa humanidade entre os habitantes desta terra, e que hoje, do Monte das Oliveiras subiste em glória, elevando o homem contigo por amor à natureza decaída, fizeste este mesmo homem sentar-se contigo junto a teu Pai.
Por isso, os exércitos angélicos, assombrados, cheios de reverência, magnificam teu imenso amor pelos homens. Junto com eles, também nós habitantes da terra, glorificamos tua vinda até nós e tua ascensão aos céus.
Encheste de alegria o grupo dos 12 apóstolos e a Bem-aventurada Virgem Maria que te gerou, faz-nos dignos da glória dos eleitos, por suas orações e tua grande misericórdia.

quinta-feira, 25 de maio de 2017




“É pecado gravíssimo tirar emprego das pessoas”



(ZENIT – Cidade do Vaticano.).- “O trabalho nos dá dignidade. E os responsáveis pelos povos, os dirigentes, têm a obrigação de fazer tudo para que todo homem e toda mulher possa trabalhar e, assim, poder ter a cabeça erguida e olhar os outros no rosto, com dignidade”.

Assim o Papa Francisco fez al final da catequese desta quarta-feira, um apelo em prol de todos os desempregados.

“Quem por manobras econômicas -sublinhou o Papa- para fazer negociações não completamente claras, fecha fábricas, fecha iniciativas empresariais e tira o trabalho aos homens, esta pessoa comete um pecado gravíssimo. ”

E falando a um grupo de trabalhadores acrescentou: “Desejo que a sua situação laboral possa encontrar uma rápida solução no respeito pelos direitos de todos, especialmente das famílias”.




Maio: Mês Mariano no ENSV

O Educandário Nossa Senhora das Vitórias realizou na manhã desta quinta-feira (25/05), a cerimônia interna de Coroação de Nossa Senhora. Para celebrar este momento, o Educandário Nossa Senhora das Vitórias escolheu a Padroeira do Brasil, Nossa Senhora Aparecida. Foi um momento marcante, de fé e espiritualidade, no qual pode-se refletir sobre o papel de Maria, mãe de Jesus Cristo, na vida dos cristãos! (Fotos by Dedé Ramalho)






TRÊS RENÚNCIAS DE UM CONSAGRADO

Um consagrado a Santíssima Virgem Maria deve renunciar a algumas coisas ou, pelo menos, evitá-las e, para ajudar nisso, trazemos três casos concretos, que podem ser muito úteis para nossa vida espiritual. 

São Luís Maria Grignion de Montfort nos ensina, no seu precioso livro “Tratado da Verdadeira Devoção a Santíssima Virgem”, que a consagração torna a nossa alma “corajosa para se opor ao mundo em suas modas e máximas”. Isso significa que, enquanto consagrados, devemos nos opor às modas e máximas do mundo e que recebemos as graças necessárias para isso.

Nos 12 dias preliminares de preparação para a consagração, empregamos pelo menos 12 dias de oração pedindo a graça de nos desapegar do espírito do mundo, que é contrário ao de Jesus Cristo. No entanto, depois de nos consagrar a Jesus e a Maria, permanecemos com muitas dúvidas: o que concretamente devemos renunciar? O que devemos evitar? Podemos ouvir músicas do mundo? O que o consagrado não deve ter? Podemos tomar bebidas alcoólicas? Por isso, neste artigo, trataremos dessas três coisas do mundo que deveríamos nos desapegar completamente ou, pelo menos, evitar e, por fim, de alguns critérios gerais de discernimento para nossa vida espiritual.
O consagrado pode ouvir músicas do mundo? Em nosso tempo, há uma variedade enorme de estilos e gêneros musicais. Sendo assim, seria injusto colocarmos tudo no mesmo pacote e dizer que não devemos, de modo algum, escutar músicas mundanas. Pois, há músicas que, apesar de não serem religiosas, a letra não tem nada de errado do ponto de vista moral e a música é aceitável quanto à harmonia, ao ritmo e à melodia. Isso torna esse tipo de música aceitável. Mas, isso não significa que seja o mais recomendável. O mais indicado é que evitemos as músicas mundanas, já que a maioria de nós não tem o conhecimento necessário para avaliar satisfatoriamente as músicas antes de ouvi-las. 

Há músicas que são incompatíveis para nós que somos consagrados ou desejamos nos consagrar a Virgem Maria. Trata-se daquelas músicas que são claramente apelativas, que incitam ao materialismo, ao sentimentalismo, ao sexo, à violência, às drogas. Estas certamente devem ser as primeiras e serem excluídas de nossas playlists. Com o tempo, a intimidade com Jesus e com Maria aumentará e isso nos ajudará a perceber que outras músicas também que podem ser prejudiciais à nossa vida espiritual e a nos desapegar delas.

Quais são as coisas que o consagrado não deve ter? São Luís Maria diz que os verdadeiros discípulos de Jesus Cristo andarão na pobreza, na humildade, e no desprezo do mundo. Sendo assim, tudo o que se opõe à pobreza e à humildade e está em conformidade com o espírito do mundo, deve ser evitado.

O luxo e a ostentação nas roupas, nas joias, nos carros, nas motocicletas, nas propriedades, que são muito comuns especialmente entre os ricos, famosos e mundanos, deve ser evitado.

Quanto às roupas, há um agravante que devemos considerar com bastante atenção. Nas últimas décadas, presenciamos uma transformação radical no modo de vestir das pessoas. Em nossos dias, roupas que no final do século passado eram imorais até mesmo para prostitutas, são consideradas normais e fazem parte do guarda-roupa de não poucas mulheres, até mesmo entre as católicas. Roupas decotadas, curtas, coladas ao corpo, sensuais, devem ser evitadas ou, preferencialmente, retiradas do vestuário das consagradas a Virgem Maria. A mundanização atingiu até mesmo o vestuário dos homens, que usam cada vez mais roupas que se assemelham às femininas, apertadas, sensuais. Estas também devem ser evitas ou até mesmo banidas por nós, que somos consagrados a Santíssima Virgem.

Os consagrados podem tomar bebidas alcoólicas? Tomar bebidas alcoólicas em si não é pecado. Mas, o abuso do álcool constitui-se pelo menos pecado venial. Mas, as pessoas que consomem bebidas alcoólicas e perdem o uso da razão ou, em estado de embriaguez, põe em risco a segurança alheia e a própria, seja nas estradas, no mar ou no ar, tornam-se gravemente culpáveis. 

Tomando por base os ensinamentos da Igreja a respeito do uso da bebida alcoólica, consideramos que o consumo moderado é moralmente aceitável para os consagrados a Virgem Maria. No entanto, particularmente aquelas pessoas que foram alcoólatras e correm o risco de voltar ao vício não devem fazer o uso de bebidas alcoólicas. Como critério geral, o abuso do álcool deve ser evitado a todo custo. As pessoas consagradas que são chamadas a uma particular perfeição de vida podem renunciar até mesmo o uso moderado de bebidas alcoólicas, apesar de moralmente aceitável, como forma de penitência, sacrifício, mortificação. 

Critérios de discernimento para os consagrados - Nos três casos acima ou em outras situações, por vezes, não conseguimos discernir qual é a melhor atitude a tomar. Nessas situações, nem sempre temos alguém que possa nos orientar, um bom diretor espiritual para nos ajudar a tomar decisões. Nesses casos, há algumas atitudes que podemos tomar.

Primeiramente, podemos pedir que a Virgem Maria, enquanto nossa Mãe e Mestra, que nos inspire qual é a melhor atitude a tomar. Pois, ela nos conhece melhor do que nós mesmos. Sendo assim, saberá nos orientar, conforme as nossas necessidades particulares e a fase espiritual em que nos encontramos.

Em segundo lugar, podemos nos perguntar: como Nossa Senhora agiria em meu lugar? Ela ouvia a música que quero ouvir? As mulheres podem se perguntar: a Virgem Maria se vestiria com as roupas que desejo usar? Os homens podem se questionar: ela gostaria que eu usasse essas roupas? Nós podemos ainda lhe perguntar: a Santíssima Virgem aprovaria que eu bebesse moderadamente? Ou devo renunciar completamente à bebida? 

Por fim, recomendamos que todo esse discernimento seja feito em estado de graça, ou seja, não devemos ter pecado mortalmente desde a nossa última Confissão. Este estado de amizade e de comunhão com Deus ajudará muito em nosso discernimento. Pois, Deus e a Virgem Maria mais facilmente terão acesso ao nosso interior e nos inspirarão as decisões mais acertadas para nossa vida espiritual. 

“SEM MULHER NÃO HÁ HARMONIA NO MUNDO”
Cidade do Vaticano (RV) – O Papa iniciou suas atividades na última quinta-feira (09/02/2017) celebrando a missa na capela da Casa Santa Marta. “Sem a mulher não existe harmonia no mundo”, disse o Papa na homilia centralizada na figura da mulher, a partir da Criação, narrada no Livro do Gênesis. “Muitas vezes, quando nós falamos das mulheres falamos de modo funcional: a mulher é feita para fazer isto ou aquilo” quando – ao invés – a mulher traz “uma riqueza que o homem e toda a criação e todos os animais não têm”: a mulher traz harmonia à Criação.
“É ela que traz a harmonia, que nos ensina a acariciar, a amar com ternura e que faz com que o mundo seja uma coisa bela”, explicou o Papa Francisco, A funcionalidade não é o objetivo da mulher, continuou, seu objetivo é o de criar a harmonia no mundo e sem ela não há harmonia. Explorar as pessoas é um crime de lesa a humanidade: é verdade. Mas explorar uma mulher é algo ainda pior: é destruir a harmonia que Deus quis dar ao mundo.
“A mulher é a harmonia, a poesia, a beleza ─ concluiu o Santo Padre ─ Sem ela o mundo não seria bonito, não seria harmonioso. Gosto de pensar, mas isso é algo pessoal, que Deus criou a mulher para que todos nós tivéssemos uma mãe”. 

PAULINA CONFECCIONA 15 ROSÁRIOS POR DIA



Se o nome de Paul Kim Tae-won não lhe diz nada, é porque você não é um jovem coreano. Estrela do pop-rock, o seu canal no Youtube ultrapassa mais de 5 milhões de
visualizações. Porém, ele tem outra atividade, menos popular, e já por dez anos: ele leva pérolas das Filipinas à sua esposa, Paulina Lee Hyunioo.

Com estas pérolas, já, há dez anos, sua esposa confecciona 15 terços por dia. “Produção caseira” vendida aos fãs do casal de artistas, que transferem os lucros para instituições que acompanham pessoas que sofrem de deficiências mentais. As duas celebridades deram à luz uma criança com autismo e este tema os afeta, intimamente.

Estes pequenos terços foram, para Paulina Lee Hyunioo, um “caminho de cura”, diz ela. Ela conta: “Eu me sentia profundamente ferida, quando as pessoas julgavam meu filho como um deficiente. Logo, então, comecei a distribuir os terços que fazia para os meus vizinhos”. O trabalho paciente e repetitivo foi se transformando, gradualmente, em oração: “Eu faço estes terços guardando, no coração, a esperança de que a graça de Deus seja concedida ao seu futuro proprietário, pois, a graça de Deus não tem fim (é infinita) ”.

O QUE SIGNIFICA CONSAGRAR-SE A MARIA


Sobre a consagração a Maria, Luís-Maria Grignion de Montfort, em seu Tratado da Verdadeira Devoção à Santíssima Virgem, recomenda, no Artigo Primeiro, intitulado
“Práticas comuns de Verdadeira Devoção à Santíssima Virgem”, nº 115, parágrafo 8: "começar, continuar e terminar todas as ações por Ela, n´Ela, com Ela e para Ela, a fim de fazê-las por Jesus Cristo, em Jesus Cristo, com e para Jesus Cristo, nosso fim último”.  Mais adiante, no Artigo Segundo, nº 120, ele precisa:

"Ora, de todas as criaturas, Maria é a mais conforme a Jesus Cristo. Por conseguinte, a devoção que, de dentre todas as demais, melhor consagra e assemelha uma alma a Nosso Senhor é a devoção à Santíssima Virgem Maria, sua Santa Mãe. E quanto mais uma alma for consagrada a Maria, tanto mais o será a Jesus Cristo. É por isso que a perfeita consagração a Jesus Cristo não é mais do que uma consagração da alma à Santíssima Virgem. E nisto consiste a devoção que ensino ou, em outras palavras, consiste numa perfeita renovação dos votos e promessas do santo batismo."

A finalidade da consagração a Nossa Senhora é, pois, o (a) de caminhar ao encontro de seu Filho. Este é, aliás, o ensinamento de Nossa Senhora, em Fátima. Em 13 de junho de 1917, ela disse para a pequena Lúcia: “O meu Imaculado Coração será o teu refúgio e o caminho que te conduzirá a Deus”.

“Ai de nós se a deixarmos a terra como um deserto”



(ZENIT – Roma, 25 maio 2017).- O Prefeito do Dicastério para o Desenvolvimento Humano Integral, Card. Peter Kodwo Appiah Turkson, que desenvolveu nesta quarta-feira num evento com o tema “Proteger a Terra e dar dignidade à humanidade”.

Falando sobre o desenvolvimento sustentável, o Cardeal recordou que recebemos “a Terra como um jardim; ai de nós se a deixarmos como um deserto”. “Tudo se baseia na moral e na ética, sem uma mudança de coração, também as regras políticas não são eficazes. ”

O prefeito indicou o convite do Papa a sermos custódios do meio ambiente e dos pobres, definidos “duas fragilidades”. Disse também que “são problemas imperativos: a Terra deve ser protegida, a humanidade e os pobres devem ter dignidade” e falou do tráfico de seres humanos e das novas formas de escravidão.

O cardeal indicou que “os bens da Terra não são destinados a alguns, mas a todos. Este é o princípio de solidariedade. ”





PAPA ÀS CRIANÇAS: “LEVAREI A VOCÊS A CARÍCIA DE JESUS”

(ZENIT – Roma) – O Papa Francisco irá, no próximo sábado em visita pastoral, à cidade italiana de Gênova, onde tem um encontro com as crianças enfermas e seus familiares no Hospital pediátrico “Giannina Gaslini”.
Ontem à tarde, o Santo Padre fez uma surpresa as crianças da estrutura hospitalar: uma saudação por telefone, mediante a emissora paroquial ‘Rádio entre notas’, fundada pelo sacerdote genovês, Roberto Fiscer, que todas as quartas-feiras dedica sua transmissão ao Hospital pediátrico.
“Queridas crianças, pacientes do Gaslini de Gênova, saúdo vocês todas na expectativa de encontrar-nos no sábado. Quero dizer-lhes que espero com alegria o momento de me encontrar com vocês e com seus familiares. Irei para estar um pouco com vocês, ouvi-las e levar-lhes a carícia de Jesus. Ele está sempre conosco especialmente quando nos encontramos em dificuldade e quando precisamos. Ele sempre nos dá confiança e esperança. Desde já, rezo por vocês e, por favor, rezem por mim. Obrigado e nos veremos no sábado. ”
Após a saudação, o Santo Padre recitou junto com as crianças uma Ave-Maria e concedeu a bênção aos pequenos pacientes e aos familiares.
O capelão do hospital, o padre capuchinho Frei Aldo Campone, declarou a Rádio Vaticano que a visita “é vista como um ato de amor: é um sinal da presença de Deus em nosso meio. Não nos esqueçamos disso. É o vigário de Cristo, que é também esperança de um melhoramento da saúde, bálsamo de consolação. Até os que não creem entendem que é a passagem de um grande bem, por conseguinte, de fraternidade, de atenção ao homem. O Papa é para todos. ”
“O Papa encontrará muitos que lhe mostrarão as chagas: as chagas das mãos, dos pés, as chagas do coração. Os pais que não têm nenhuma ferida, nenhum corte, mas têm as chagas porque sentem dentro deles a dor pelo sofrimento dos filhos. O sofrimento deles assemelha-se ao de Nossa Senhora aos pés da Cruz. Maria, sem morrer, é a rainha dos mártires. E desse modo os pais sofrem ao lado de seus filhos. Sempre disse no hospital: não temos um paciente, mas três. Temos a criança que é atingida fisicamente e temos os pais dos quais cuidar também. O Papa encontrará essa humanidade que passa pela provação. ”


quarta-feira, 24 de maio de 2017



ARCEBISPO DE NATAL ORDENA QUATRO SACERDOTES 

No início da noite desta quarta-feira, 24, na Catedral Metropolitana de Natal, o Arcebispo, Dom Jaime Vieira Rocha, ordenou quatro sacerdotes: Hémerson Câmara, Jecione da Silva Melo, William Lamarck Nunes de Brito e Willian Bruno dos Santos.
No final da celebração, Dom Jaime anunciou as funções dos novos sacerdotes: Padre Hémerson será vigário paroquial da Paróquia de Nossa Senhora da Conceição, em Lajes; Padre Jecione, vigário paroquial da Paróquia do Bom Jesus dos Navegantes, em Touros; Padre Willian Bruno, continua como secretário da residência episcopal e será também vigário paroquial da Paróquia de Nossa Senhora da Apresentação, na Cidade Alta, em Natal; e Padre William Lamarck, vigário paroquial da Paróquia de Nossa Senhora da Conceição, em São Rafael.
 Primeiras missas - Os néo-sacerdotes presidirão as primeiras missas nos seguintes locais e datas: Padre Francisco Hémerson, dia 25 de maio, às 19h, na Igreja Matriz de São Paulo Apóstolo, em São Paulo do Potengi; Padre Jecione, dia 26, às 19h, na Igreja de Santa Teresa de Ávila, na comunidade Umari, município de Ielmo Marinho; e Padre Willian Bruno, dia 29, às 19h, no Santuário de Santos Reis, no bairro de Santos Reis, em Natal; e Padre William Lamarck, dia 2 de junho, às 19h; na Igreja Matriz de São Paulo Apóstolo, em Pedro Avelino. (FONTE: Arquidiocese de Natal)

ENCONTRO VOCACIONAL EM EMAÚS

MOVAD VISITA A VILA MARIA






Vaticano: Papa e Trump reúnem-se pela primeira vez 

(ZENIT – Cidade do Vaticano, 24 maio 2017).- O Papa Francisco recebeu no Vaticano na manhã desta quarta-feira, o Presidente dos EUA, Donald Trump. Foi a primeira vez que se encontraram. A audiência particular, a portas fechadas, na biblioteca privada, começou às 8h33 e durou 27 minutos. Foi possível ouvir Trump referir que esta era uma ‘grande honra’.
Após os cumprimentos tensos do início, pareciam estar mais relaxados depois da audiência. Trump estava acompanhado de sua esposa, Melania, a filha mais velha, Ivanka, o genro, Jared Kushner, e uma delegação de cerca de 20 pessoas, 12 das quais entraram no Palácio e estiveram com o Papa.
Durante a audiência, esposa e filha do Presidente dos EUA visitaram a Capela Paulina e a Sala Regia, e depois aguardaram conversando com a delegação e representantes do Vaticano em uma sala adjacente.
No final do encontro houve uma simbólica troca de presentes e os habituais cumprimentos diante dos fotógrafos. O Papa ofereceu a Trump as edições em inglês da mensagem para o Dia Mundial da Paz 2017, as exortações “A Alegria do Evangelho” e “A Alegria do Amor”, sobre a família; bem como a carta encíclica “Laudato sí”, que abrange a questão ecológica.
Como é tradição em audiências a Chefes de Estado, Francisco ofereceu também um medalhão do seu Pontificado com dois ramos de oliveira entrelaçados, símbolo da paz que se sobrepõe à guerra, explicando detalhadamente o seu significado. Por sua vez, o líder estadunidense presenteou o Papa com uma coletânea dos cinco livros escritos por Martin Luther King e uma peça do monumento de granito que honra o ativista afro-americano em Washington e uma escultura de bronze. Um dos livros, “The Strength to Love” (“A Força do Amor”, 1963), traz a assinatura de Luther King.
Francisco cumprimentou com cordialidade Melania Trump, a quem perguntou “se já haviam comido uma pizza” e abençoou um terço que a esposa do Presidente tinha nas mãos. Também a filha, Ivanka, disse algumas palavras ao Papa, que a ouviu em silêncio.
Depois de se despedirem do Pontífice, Trump e sua delegação, incluindo o Secretário de Estado, Rex W. Tillerson, e o conselheiro de Segurança Nacional, H. R. McMaster, se reuniram com o Secretário de Estado do Vaticano, Cardeal Pietro Parolin, acompanhado por Dom Paul Gallagher, secretário do Vaticano para as relações com os Estados.
A passagem de Trump pelo Vatciano aconteceu depois de o líder norte-americano ter estado na Arábia Saudita e em Israel. O presidente dos Estados Unidos encontrou-se depois com o presidente e o primeiro-ministro de Itália. E viajou até Bruxelas, para participar na reunião da NATO.


Pesar do Papa pelas vítimas do bárbaro ataque terrorista em Manchester

(ZENIT – Roma, 22 maio 2017).-  O Papa Francisco manifestou seu pesar pelas vítimas do atentado terrorista nesta segunda-feira em Manchester, Inglaterra, na saída de um show da cantora Ariana Grande, onde 22 pessoas morreram, incluindo crianças e adolescentes, e 59 ficaram feridas.
O ataque foi executado por um homem que morreu detonando “um dispositivo explosivo improvisado”, indicou Ian Hopkins, comissário da polícia de Manchester.
“Sua Santidade o Papa Francisco ficou profundamente entristecido ao saber dos feridos e da trágica perda de vidas causada pelo bárbaro ataque em Manchester e manifesta a sua profunda solidariedade a todos os que foram afetados por este ato de violência sem sentido”, refere a mensagem enviada nesta terça-feira, 23, pelo secretário de Estado do Vaticano, cardeal Pietro Parolin, ao bispo local.
O Santo Padre elogia na mensagem, os “generosos esforços” do pessoal de segurança e dos serviços de emergência, rezando por todas as vítimas. E conclui: “Tendo em particular atenção as crianças e jovens que morreram, bem como as suas famílias enlutadas, o Papa Francisco invoca as bênçãos do Deus da paz, cura e força para toda a nação. ”
Mensagens de solidariedade chegaram também de vários outros líderes religiosos do mundo. O Arcebispo de Westminster, Cardeal Vincent Nichols, Presidente da Conferência Episcopal da Inglaterra e Gales, escreveu: “Choramos a perda de tantas vidas humanas e rezamos pelo descanso eterno de todas as vítimas”.
O bispo anglicano de Manchester, David Walker, condenou o atentado num comunicado divulgado esta manhã. “Um dia para chorar os mortos, rezar com suas famílias e feridos, e reiterar a nossa determinação a fim de que não sejamos derrotados por aqueles que matam e destroem. ”
Durante a noite, a primeira-ministra Theresa May condenou o “terrível ataque terrorista” e manifestou solidariedade às vítimas e suas famílias. O Estado Islâmico (Isis) reivindicou a autoria do ataque.

terça-feira, 23 de maio de 2017

Noite Mariana do Educandário Jesus Menino em Currais Novos RN





VEJA MAIS https://www.facebook.com/educandario.jesus.menino.curraisnovos/photos/a.1541736432537019.1073741997.870608639649805/1541757272534935/?type=3&theater

Cepal e Unicef pedem proteção à infância na América Latina

A Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (Cepal) e o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) fizeram nesta segunda-feira, 22, um chamado a reforçar os sistemas de proteção social da infância nos países da América Latina devido à sua vulnerabilidade perante os desastres naturais. As informações são da agência EFE.
“Os meninos e as meninas da América Latina e o Caribe, particularmente os que vivem em contextos de pobreza, são altamente vulneráveis aos desastres e experimentam os seus efeitos de forma desproporcionada e crescente”, disseram a Cepal e o Unicef em uma nota conjunta.
Desastres na América Latina e no Caribe
“A frequência de desastres na América Latina e no Caribe aumentou 3,6 vezes em meio século. Na década de 1960 houve, em média, 19 desastres por ano e na primeira década do século XXI essa média aumentou para 68 fenômenos anuais”, disseram os dois órgãos das Nações Unidas. A maior parte dos desastres na região está relacionada a fenômenos meteorológicos e hidrológicos, como furacões, tempestades, inundações e secas.
A catástrofe com maior número de mortos na região, no entanto, foi o terremoto do Haiti, em 2010, que deixou mais de 222 mil mortos, destaca a publicação. Garantir níveis básicos de investimento e acesso a serviços como saúde, educação e moradia, entre outros, fortalece a prevenção e a capacidade de resposta e reduz a vulnerabilidade aos desastres, diz o documento.

II Encontro da Vida Consagrada Monástica e Contemplativa começa amanhã

“O momento favorece a reflexão em torno de temas afins, próprios e característicos desta forma de vida tão bonita na vida da Igreja”. É com estas palavras que o arcebispo de Porto Alegre (RS) e presidente da Comissão para os Ministérios Ordenados e a Vida Consagrada da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Jaime Spengler descreve o II Encontro Nacional da Vida Consagrada Monástica e Contemplativa, a ser realizado no período de 23 a 27 de maio, em Aparecida (SP).
Com o tema “A Alegria da Consagração Monástica e Contemplativa” e o lema “ Eis como é bom e agradável estarmos unidos e felizes”, o evento é promovido pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) em parceria com a Conferência dos Religiosos do Brasil (CRB). Segundo informações da comissão organizadora, nele serão trabalhados valores essenciais do monaquismo. Um dos objetivos é promover a partilha com os consagrados que vivem o mesmo ideal.
“É um momento fraterno de encorajamento e integração, mediante o modo como cada um vive a sua identidade, dentro da mística e missão da vida consagrada hoje. Com a troca de experiências ofertada será possível dar uma maior visibilidade à vocação e certamente isso produzirá muitos frutos”, explicou a comissão organizadora do evento.
Para a presidente da CRB, irmã Maria Inês o momento é oportuno, pois segundo ela vão estar todos juntos em Aparecida (SP) representantes de todos os mosteiros do Brasil. “O objetivo agora é reunir todos esses carismas, toda essa vida intensa que existe nos mosteiros e também mostrar ao mundo que é bom viver como monja, como monge à serviço da Igreja, na oração, na entrega”, observa.

Arcebispo de Natal ordena quatro sacerdotes

Os diáconos Francisco Hémerson Câmara, Jecione da Silva Melo, William Lamarck Nunes de Brito e Willian Bruno dos Santos Costa serão ordenados sacerdotes, nesta quarta-feira, 24, às 17 horas, na Catedral Metropolitana de Natal. A celebração será presidida pelo Arcebispo, Dom Jaime Vieira Rocha.
Os néo-sacerdotes presidirão as primeiras missas nos seguintes locais e datas: Padre Francisco Hémerson, dia 25 de maio, às 19h, na Igreja Matriz de São Paulo Apóstolo, em São Paulo do Potengi; Padre Jecione, dia 26, às 19h, na Igreja de Santa Teresa de Ávila, na comunidade Umari, município de Ielmo Marinho; e Padre Willian Bruno, dia 29, às 19h, no Santuário de Santos Reis, no bairro de Santos Reis, em Natal; e Padre William Lamarck, dia 2 de junho, às 19h; na Igreja Matriz de São Paulo Apóstolo, em Pedro Avelino.

Papa em Santa Marta: passar da vida morna ao anúncio de Jesus


Durante a homilia da Missa celebrada nesta terça-feira (23), na Casa Santa Marta, o Papa Francisco indicou que muitas pessoas consagradas foram perseguidas por terem denunciado atitudes de mundanidade.


Em sua homilia, o Pontífice comentou o capítulo dos Atos dos Apóstolos, que narra Paulo e Silas em Filipos. Uma escrava que tinha um espírito de adivinhação começou a segui-los e, gritando, os indicou como “servos de Deus”. Era um louvor, mas Paulo, sabendo que esta mulher estava possuída por um espírito maligno, um dia o expulsou. Paulo – notou o Papa – entendeu que “aquele não era o caminho da conversão daquela cidade, porque tudo permanecia tranquilo”. Todos aceitavam a doutrina, mas não havia conversões.


Isto se repete na história da salvação: quando o povo de Deus estava tranquilo, não arriscava ou servia – não “digo aos ídolos” – mas “à mundanidade”, explica Francisco. Então o Senhor enviava os profetas que eram perseguidos “porque incomodavam”, como ocorreu com Paulo: ele entendeu o engano e mandou embora esse espírito que, apesar de dizer a verdade – isto é, que ele e Silas eram homens de Deus – no entanto, era “um espírito de torpor, que tornava a igreja morna”.

“Na Igreja – afirma – quando alguém denuncia tantos modos de mundanidade é encarado com olhos tortos, não deve ser assim, melhor que se distancie”: “Eu lembro na minha terra, tantos, tantos homens e mulheres, consagrados bons, não ideólogos, mas que diziam: ‘Não, a Igreja de Jesus…’ – ‘Ele é comunista, fora! ’, e os expulsavam, os perseguiam. Pensemos no beato Romero, não? o que aconteceu por dizer a verdade. E muitos, muitos na história da Igreja, também aqui na Europa. Por quê? Porque o espírito maligno prefere uma Igreja tranquila sem riscos, uma Igreja dos negócios, uma Igreja cômoda, na comodidade do torpor, morna”. “Quando a Igreja está morna, tranquila, toda organizada, não existem problemas, mas olhem onde há negócios”, afirmou Francisco.


Mas além do dinheiro, há outra palavra ressaltado pelo Pontífice, que é a “alegria”. Paulo e Silas são arrastados pelos patrões da escrava diante dos juízes, que ordenaram que fossem açoitados e levados à prisão. O carcereiro os leva para a parte mais escondida da prisão. Paulo e Silas cantavam. Por volta da meia-noite, há um forte tremor de terremoto e todas as portas da prisão se abrem. O carcereiro está para se matar antes que fosse assassinado por ter deixado os prisioneiros escaparem, mas Paulo o exorta a não se machucar, porque – disse – “estamos todos aqui”. Então o carcereiro pede explicações e se converte. Lava as feridas deles, é batizado e fica cheio de alegria”.


“E este é o caminho da nossa conversão diária: passar de um estado de vida mundano, tranquilo, sem riscos, católico, sim, sim, mas assim, morno, a um estado de vida de verdadeiro anúncio de Jesus Cristo, à alegria do anúncio de Cristo. Passar de uma religiosidade que olha demasiado para os lucros para uma religiosidade de fé e de proclamação: ‘Jesus é o Senhor’”.


“Uma Igreja sem mártires não dá nenhuma confiança; uma Igreja que não se arrisca provoca desconfiança; uma Igreja que tem medo de anunciar Jesus Cristo e afugentar os demônios, os ídolos, o outro senhor, que é o dinheiro, não é a Igreja de Jesus. Na oração pedimos a graça e também agradecemos o Senhor pela renovada juventude que nos dá com Jesus e pedimos a graça que ele mantenha esta renovada juventude. Esta Igreja de Filipos foi renovada e tornou-se uma Igreja jovem. Que todos nós tenhamos isso: uma renovada juventude, uma conversão do modo de viver morno ao anúncio alegre que Jesus é o Senhor”. (Fonte: Radio Vaticano)


Papa em Santa Marta: abrir o coração ao Espírito Santo para testemunhar Jesus Cristo

O Papa Francisco na Missa matutina que celebrou nesta segunda-feira na Casa Santa Marta, indicou que somente o Espírito Santo nos ensina a dizer: “Jesus é o Senhor”.
O Pontífice destacou que devemos abrir o coração para ouvir o Espírito Santo e, assim, poder testemunhar Jesus Cristo.Francisco fez a homilia partindo do discurso de Jesus aos seus discípulos na Última Ceia e “recordou que é o Espírito Santo que nos ensina a dizer: ‘Jesus é o Senhor”.
“Sem o Espírito, nenhum de nós é capaz de dizer, ouvir e viver Jesus. Em outras partes deste longo discurso, Jesus diz do Espírito: ‘Ele os conduzirá à plena Verdade’, nos acompanhará rumo à plena Verdade. ‘Ele lhes fará lembrar de todas as coisas que eu disse; lhes ensinará tudo’. Isto é, o Espírito Santo é o companheiro de caminhada de todo cristão, é o também o companheiro de caminhada da Igreja. E este é o dom que Jesus nos dá”.
O Espírito Santo, explicou o Papa, é “um dom: o grande dom de Jesus”, “aquele que não nos deixa errar”.
Onde mora o Espirito? Na Primeira Leitura, extraída dos Atos dos Apóstolos, encontramos a figura de Lídia, “comerciante de púrpura” a quem “o Senhor abriu o coração para aderir à Palavra de Deus”. “O Senhor abriu o seu coração para que o Espírito Santo entrasse e ela se tornasse discípula. É justamente no coração que levamos o Espírito Santo”.
O Pontífice recordou que a Igreja o chama como ‘o doce hóspede do coração’: “está aqui. Mas num coração fechado ele não pode entrar”.
Não se compra, “este é um dom. É um dom de Deus. ‘Senhor, abra-me o coração para que entre o Espírito e me faça entender que Jesus é o Senhor’”. E sugeriu nestes dias rezar: “Senhor, abra-me o coração para que eu possa entender aquilo que Tu nos ensinaste. Para que eu possa recordar as Tuas palavras. Para que eu chegue à plena verdade”.
Eu peço ao Senhor a graça de ter um coração aberto? Busco ouvir o Espírito Santo, as suas inspirações, as coisas que Ele diz ao meu coração para que eu prossiga na vida cristã, e possa testemunhar também eu que Jesus é o Senhor?
“E assim iremos avante na vida cristã e daremos também nós testemunho de Jesus Cristo.”
ZENIT